Argentina negocia salvo-conduto para os seis opositores de Maduro refugiados em sua embaixada em Caracas

Argentina negocia salvo-conduto para os seis opositores de Maduro refugiados em sua embaixada em Caracas

O governo da Argentina está negociando um salvo-conduto para
seis opositores venezuelanos que se refugiaram na residência oficial da
Embaixada do país em Caracas no dia 26 de março, afirmou nesta sexta-feira (5) a
chanceler argentina, Diana Mondino.

“Estamos trabalhando nisso. Não é tão fácil”, disse Mondino
em um evento realizado na cidade de Córdoba, no centro da Argentina.

A chanceler afirmou que os refugiados têm o status de
solicitantes de asilo político desde o último dia 29 de março, quando foi
concedido a eles pelas autoridades argentinas.

Na semana passada, o governo argentino informou que houve um
corte no fornecimento de energia na residência oficial da Embaixada argentina.

No período que antecede a campanha eleitoral na Venezuela, onde
as eleições presidenciais serão realizadas no dia 28 de julho, Mondino
reconheceu que a Argentina não pode “interferir” nos assuntos
políticos internos de outros países.

“Podemos fazer uma declaração, mas não interferimos”,
afirmou.

As relações entre Argentina e Venezuela – que foram estreitas
durante os mandatos dos peronistas Néstor e Cristina Kirchner, e Alberto
Fernández – ficaram distantes desde a chegada de Javier Milei à presidência, em
dezembro do ano passado. O libertário é um forte crítico da ditadura de Nicolás
Maduro e têm sérias divergências com o chavismo.

O governo argentino foi um dos signatários em março, junto com
Costa Rica, Equador, Guatemala, Paraguai, Peru e Uruguai, de um comunicado no
qual esses países expressaram preocupação com a impossibilidade de Corina
Yoris, candidata da Plataforma Unitária Democrática (PUD), de oposição,
registrar sua candidatura para as eleições de julho.

Maduro, amplamente questionado pela comunidade internacional, tentará a “reeleição” na Venezuela. (Com Agência EFE)

source


Descubra mais sobre Conexão Libertas

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe um comentário