Influenciador petista fatura com desinformação, diz jornal

Influenciador petista fatura com desinformação, diz jornal

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, Thiago dos Reis explora fake news e informações descontextualizadas para lucrar no YouTube

O youtuber Thiago dos Reis, associado ao PT, é reconhecido como um dos principais produtores de conteúdo político de esquerda no Brasil. Ele elabora seus vídeos com o objetivo de apoiar o governo . O jornal O Estado de S. Paulo informou que “mas combinam desinformação, ataques a opositores e geram enorme audiência e lucros”. Adicionalmente, Thiago é réu em 15 processos judiciais.

Com 36 anos de idade, o ativista já acumulou mais de 1 bilhão de visualizações no YouTube desde 2017. Contudo, Thiago nega que tenha acesso a informações privilegiadas oriundas do Palácio do Planalto, e sustenta que seu canal é um defensor da “democracia”. Ele também garante que nunca foi financiado pelo governo.

Reuniões de pauta e apoio de influenciadores

No dia 10, o Estadão divulgou que a Secretaria de Comunicação Social (Secom), sob a liderança de Paulo Pimenta, junto ao PT nacional e líderes do partido no Congresso, promovem reuniões matinais para estabelecer assuntos que serão abordados com a colaboração de influenciadores.

O secretário de comunicação do PT, Jilmar Tatto, admite acionar influenciadores quando necessário. “Apesar de frequentemente divulgar informações falsas ou descontextualizadas, Thiago é recomendado por petistas que o classificam como relevante na ‘luta democrática’”, destacou o jornal.

O Estadão informa que os vídeos do youtuber de orientação petista frequentemente distorcem a realidade e utilizam palavras agressivas contra seus oponentes. O material divulgado também propaga desinformação, como a rejeição do ataque a Bolsonaro em 2022 e alegações infundadas sobre o empresário Luciano Hang e a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro.

“Thiago chegou a publicar que o empresário Luciano Hang teria matado a própria mãe durante a pandemia de covid-19 para ‘fazer teste’ e obter lucro — ela morreu após ser internada com a doença”, relatou o jornal. “Outra informação falsa que ele disseminou foi a de que a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro teria comprado um sapato de R$ 20 mil com dinheiro público em Dubai.”

Ganhos financeiros e estratégias de monetização

Os criadores de conteúdo são remunerados pelo YouTube de acordo com as visualizações. De acordo com o Social Blade, o Plantão Brasil, um canal no YouTube, pode gerar até US$ 110 mil por mês, o que equivale a cerca de R$ 550 mil. Além disso, Thiago solicita doações através do Pix e, nos últimos cinco anos, ele postou 9,8 mil vídeos em seu canal principal, alcançando um total de 989 milhões de visualizações.

Thiago ultrapassa em visualizações quando comparado a canais de influenciadores de direita. Seu canal possui mais seguidores que o Canal Gov, da EBC, que foi criado 11 anos antes, e também supera o canal oficial do presidente Lula.

Defendendo o governo em situações críticas

No decorrer da tragédia no Rio Grande do Sul, Thiago se posicionou a favor do governo, argumentando que Lula encaminhou R$ 50 bilhões para o Estado, apesar de uma grande parcela ser constituída de empréstimos.

Thiago registra seus vídeos utilizando apenas uma câmera, com foco no enquadramento, e se vale de links compartilhados por coletivos de outros ativistas do PT.

Mesmo setores ideológicos criticam ele por seu uso excessivo de fake news. Seus métodos foram classificados como um “desserviço às pessoas de esquerda” por Pedro Zambarda, do site governista DCM.

Envolvimento com figuras políticas

A partir de 2020, Thiago se destacou no lado esquerdo. Ele teve como convidado Paulo Pimenta (PT) em uma transmissão ao vivo e fez uma entrevista com Lula. Membro do PT desde 2017, ele tentou concorrer a uma vaga de deputado federal em 2022, porém sem sucesso. Seu canal no YouTube passou de 883 mil seguidores em outubro de 2022 para mais de 1,5 milhão na atualidade.

Thiago, além de administrar o Plantão Brasil, também gerencia outros três canais no YouTube e está presente em diversas redes sociais. No Twitter/X, ele possui 412 mil seguidores e utiliza uma imagem que contém o slogan do governo e uma foto ao lado de Lula. Ele é proativo na promoção de personagens pertencentes ao núcleo forte de Lula.

Influenciador enfrenta processos judiciais

Há dois anos, oficiais de justiça têm buscado Thiago para que ele possa responder a processos por “calúnia e difamação” e para executar uma sentença de prisão emitida em um processo iniciado pelo seu pai. Desde 2022, ele foi alvo de 15 processos, acumulando um total de R$ 447 mil em indenizações.

A Justiça esforçou-se para notificar Thiago em 11 endereços diferentes, mas não obteve sucesso. Ele alega estar residindo no México no momento. Em um dos processos, Luciano Hang o processou devido a alegações falsas sobre o “falecimento de sua mãe”. A Justiça, por sua vez, realizou buscas em órgãos públicos e empresas para tentar localizá-lo, mas sem sucesso.

Marcio Nunes de Oliveira, ex-diretor da PF, também iniciou um processo legal contra Thiago, após ser vítima de calúnia. No entanto, após inúmeras tentativas sem sucesso de localizá-lo, ele decidiu abandonar o processo.

Mandado de prisão e alegações de abandono familiar

Em julho de 2022, foi emitido um mandado de prisão contra Thiago em um processo de pensão alimentícia iniciado por seu pai, que alegava abandono em meio a problemas psiquiátricos e alcoolismo. O mandado ainda está pendente no Conselho Nacional de Justiça. Thiago afirma não possuir recursos financeiros suficientes para liquidar o processo, no entanto, reportou um patrimônio de R$ 1,2 milhão durante a campanha de 2022.

Ele declarou nas redes sociais que está no México para fugir de “ameaças de bolsonaristas”. Thiago rejeita qualquer suporte do governo Lula e afirma que sua ação é em defesa da democracia. As informações são da Revista Oeste.

source


Descubra mais sobre Conexão Libertas

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe um comentário