Nem todos os caminhos levam a Roma…

Nem todos os caminhos levam a Roma…

Ouça este conteúdo:


Dizem que todos os caminhos levam a Roma. Será mesmo? 

Existem muitas explicações para a expressão. Uma delas, a qual prefiro, diz que, como Roma foi o centro da Europa no período em que dominou a região, quase toda a malha viária se conectava, capilarizando-se, e ligando todas as pequenas vias às maiores, até desaguarem no centro do Império Romano, sua capital, a cidade eterna, Roma. A expressão, inclusive, virou um famoso dito popular.

Na nossa vida, nem todos os caminhos escolhidos nos levam a um determinado destino. Podemos fazer um exercício, chamemos “Roma” do que quisermos… Creio que todos nós, que somos pessoas boas, temos aspirações muito parecidas: felicidade, realização pessoal, uma família unida, saúde, amor, carinho, relações afetivas duradouras, amizades sólidas, estabilidade, sucesso, dentre tantas outras que poderia citar…

Contudo, por vezes nós traçamos portos de chegada, sem observar o caminho a ser trilhado. Atualmente, com os avanços tecnológicos, é possível navegar por aparelhos, mas, no passado, não era possível fazer uma transposição marítima sem observar, e muito bem, a bússola, o astrolábio, as cartas e as estrelas. Aliás, dizem que os maiores navegadores eram capazes de navegar observando somente as estrelas, o que faz delas o maior referencial, pois os demais instrumentos e meios podem ser perdidos ou estragados, mas essas, sempre estarão no firmamento…

Dentro da nossa existência não é diferente. Se desejamos alcançar as nossas escolhidas aspirações, precisamos nos certificar de que estamos no caminho que nos leva até elas. Ninguém pode plantar batata, e colher laranja, ou cultivar alface, e esperar pitangas. A vida é a consequência dos caminhos escolhidos, das decisões tomadas. Por isso, necessário é prestar bem atenção nas estrelas que podem nos ajudar a traçar a rota que leva ao nosso futuro. Caminhos bons nos levarão a destinos maravilhosos, mas trilhas não tão boas nos conduzirão a locais não tão almejados.

Algumas virtudes são comuns aos homens de bem, independentemente das suas crenças, convicções ou escolhas religiosas, como, por exemplo, a honestidade, a ética, a bondade, a boa vontade, o espírito conciliatório, a capacidade de perdoar, o caráter inabalável, o espírito de doação, de disponibilidade para com o próximo, a coragem, a altivez e alegria de assistir a vitória do outro, dentre outras mais.

Não é possível ter saúde sem cuidar do corpo e da alma, não é possível se formar sem estudar, não é possível ter família, sem espírito de doação, tampouco é possível partilhar sem possuir espírito de desprendimento. Casamentos demandam amor e perdão, além de muita disposição para se chegar ao fim em união. O sucesso no trabalho exige nosso preparo, mas também ética e honestidade, da mesma forma que correção e caráter são imprescindíveis para o bom andamento dos contratos.

Poderíamos citar inúmeras outras correlações entre escolhas e realizações, entre ações como pressuposto para se alcançar objetivos de vida, mas creio ser desnecessário. A vida é feita de escolhas e de renúncias, e a somatória de todas elas nos leva ao nosso futuro, que vamos construindo dia após dia. Nesse exato instante, estamos construindo a nossa existência, o nosso hoje e o nosso amanhã. E escolhas infelizes nos levam a finais nem tão felizes…

Por isso, importante é saber observar as estrelas, para bem navegar, conhecer a qualidade das sementes, para poder plantar de forma sábia, e ter rumo e noção de direção, para bem trilhar as estradas, para que, de fato, possamos “chegar a Roma”…

As respostas para que cada um atinja seus objetivos e sonhos está no seu coração. Está na sua alma… Não tenho a pretensão de indicar caminhos, muito menos de criticar escolhas, mas desejo compartilhar com vocês a fala de um grande homem, Jesus, que certa vez nos disse que “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, e ninguém vem ao Pai, senão por mim” (Jo 14, 6).

Que possamos viver da melhor forma possível, cercados e norteados por valores e virtudes, e, se possível, inspirados por Ele, Jesus Cristo, pois o seu caminho nos leva certamente aos nossos objetivos, e nos faz alcançar as nossas metas, com alegria, paz e felicidade! Se quisermos de fato ir à Roma, que peguemos a estrada que nos leva a Roma, uma vez que, se trilharmos a estrada que nos leva a Sabará, chegaremos a Sabará, isso, claro, se o carro não quebrar na estrada…


Descubra mais sobre Conexão Libertas

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe um comentário