Operação investiga esquema que desviou R$ 1,7 bilhão do SUS

Operação investiga esquema que desviou R$ 1,7 bilhão do SUS

Uma operação da Polícia Federal (PF) investiga um esquema que desviou cerca de R$ 1,7 bilhão do Sistema Único de Saúde (SUS). A ação, deflagrada nesta terça-feira, 30, conta com apoio de 13 servidores da Receita Federal e dez da Controladoria-Geral da União (CGU). 

+ Leia mais notícias do Brasil em Oeste

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em 33 endereços. As ações ocorreram principalmente em municípios do Pará, como Belém, Benevides, Parauapebas, Ananindeua, Santa Maria do Pará e São Miguel do Guamá. Além disso, houve cumprimento de mandado de busca e apreensão em um endereço em Barueri (SP).

Leia também: “Polícia Federal deflagra operação contra esquema que desviou R$ 14 milhões do SUS”

As investigações revelaram repasses ilícitos para servidores públicos de várias prefeituras paraenses. Os agentes também investigam possíveis práticas de lavagem de dinheiro e evasão de divisas por meio de empresas de fachada e sediadas em paraísos fiscais.

De acordo com a PF, os suspeitos utilizaram empresas ligadas ao setor de saneamento urbano para cometer os crimes.

Leia mais: “Lula grava vídeo para promover o SUS com camisa polo que custa mais de R$ 2,6 mil”

Os criminosos atuaram em diversas regiões do país. De acordo com a CGU, a empresa central nas investigações presta serviços de engenharia sanitária e rodoviária há muitos anos no Pará. Essa companhia foi uma das principais credoras de entes públicos no Estado. 

Leia também: “Mesmo com epidemia, SUS ainda não definiu início da vacinação contra a dengue”

Movimentações financeiras suspeitas no valor de R$ 1,7 bilhão foram identificadas no período de 2017 a 2022.

Investigações no SUS e bloqueio de bens

SUS
De acordo com a Polícia Federal, os suspeitos utilizaram empresas ligadas ao setor de saneamento urbano para cometer os crimes | Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A 4ª Vara Federal Criminal do Pará, responsável pela autorização da operação, também determinou o bloqueio de bens dos investigados no montante total desviado, com o objetivo de restituição aos cofres públicos. 

Depois da análise minuciosa de todo o material apreendido, os investigadores seguirão com aprofundamento do caso. Eles vão tentar esclarecer os fatos criminais relevantes e responsabilizar individualmente cada suspeito.

Leia também: “Medicamentos à base de maconha vão ser distribuídos pelo SUS no Espírito Santo”

source


Descubra mais sobre Conexão Libertas

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe um comentário