Pesquisadora que denunciou ‘milícia digital’ criada por Janja confirma que vai ao Congresso

Pesquisadora que denunciou ‘milícia digital’ criada por Janja confirma que vai ao Congresso

Michele Prado é atacada pela esquerda após ser desligada de grupo da USP e corrigir jornalista

Nesta quarta-feira, 15, Michele Prado, pesquisadora, confirmou que irá ao Parlamento para discutir os ataques sofridos nas redes sociais após corrigir uma informação veiculada ao vivo por uma jornalista e questionar o secretário de Comunicação, Paulo Pimenta.

Michele foi desconectada do Monitor do Debate Político do Meio Digital da USP, após corrigir a maneira como os dados da pesquisa em que participou foram divulgados na GloboNews, no cenário das inundações no Rio Grande do Sul.

“Prezado , reconsiderei o convite para falar ao Congresso e aceitarei esclarecer, baseada na verdade dos fatos, todas as informações a respeito do episódio e me defender das mentiras que a brutal campanha de cyberbullying contra mim, oriunda, principalmente, de setores de esquerda, tem disseminado nas redes”, disse Michele.

Ferreira revelou ontem que havia estendido um convite à pesquisadora para elucidar os acontecimentos e esclarecer as acusações lançadas contra ela, incluindo a criação de uma “milícia digital” supostamente por Janja, a primeira-dama. Michele inicialmente recusou o convite, mas, agora, resolveu aceitá-lo.

Início dos ataques Contra Michele Prado

Em uma sequência de tuítes, Michele explicou: “Um monte de gente cometendo crime de cyberbullying contra uma pessoa. Mas esse cyberbullying, quando vem da esquerda, é socialmente aceito. Até quando?” As informações são da Revista Oeste.


source
Siga o canal Conexão Libertas no WhatsApp:

https://whatsapp.com/channel/0029Va60fTpHQbS8xzf9zq1M

Siga o canal Conexão Libertas no Telegram:

https://t.me/conexaolibertas


Descubra mais sobre Conexão Libertas

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe um comentário